A Verdade sobre "São Jorge"

|

O que diz a história?

De acordo com a história, Jorge de Anicii teria nascido na antiga Capadócia, região do sudeste da Anatólia que, atualmente, faz parte da República da Turquia. Converteu-se a Cristo ainda na infância. Ainda criança, mudou-se para a Palestina com sua mãe após seu pai morrer em batalha. Sua mãe, ela própria originária da Palestina, Lida, possuía muitos bens e o educou com esmero. Ao atingir a adolescência, Jorge entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa. Logo foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade — qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde da Capadócia. Aos 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo a função deTribuno Militar.

Nesse tempo sua mãe faleceu e ele, tomando grande parte nas riquezas que lhe ficaram, foi-se para a corte do Imperador. Vendo, Jorge, que urdia tanta crueldade contra os cristãos, parecendo-lhe ser aquele tempo conveniente para alcançar a verdadeira salvação, distribuiu com diligência toda a riqueza que tinha aos pobres.

O imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos e no dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.

Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo. Indagado por um cônsul sobre a origem dessa ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da Verdade. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O que é a Verdade?". Jorge respondeu-lhe: "A Verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e Nele confiando me pus no meio de vós para dar testemunho da Verdade."


Como Jorge mantinha-se fiel ao cristianismo, o imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Todavia, Jorge reafirmava sua fé, tendo seu martírio aos poucos ganhado notoriedade e muitos romanos tomado as dores daquele jovem soldado, inclusive a mulher do imperador, que se converteu ao cristianismo. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito, mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303, em Nicomédia (Ásia Menor).

Os restos mortais de São Jorge foram transportados para Lida (Antiga Dióspolis), cidade em que crescera com sua mãe. Lá ele foi sepultado, e mais tarde o imperador cristão Constantinomandou erguer suntuoso oratório aberto aos fiéis, para que a devoção ao santo fosse espalhada por todo o Oriente.

Pelo século V, já havia cinco igrejas em Constantinopla dedicadas a São Jorge. Só no Egito, nos primeiros séculos após sua morte, construíram-se quatro igrejas e quarenta conventos dedicados ao mártir. Na Armênia, em Bizâncio, no Estreito de Bósforo na Grécia, São Jorge era inscrito entre os maiores santos da Igreja Católica.


Todas as vezes em que foi interrogado, sempre declarou-se servo do DEUS Vivo, mantendo seu firme posicionamento de somente a Ele temer e adorar. Em seu coração, Jorge de Capadócia discernia claramente o própósito de tudo o que lhe ocorria: “... vos hão de prender e perseguir, entregando-vos às sinagogas e aos cárceres, e conduzindo-vos à presença de reis e governadores, por causa do meu nome. Isso vos acontecerá para que deis testemunho”. (Lucas 21.12:13).

Sobre a disseminação e o culto a "São Jorge"

São Jorge tornou-se santo patrono da Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânia, da cidade de Moscou e, extra-oficialmente, da cidade do Rio de Janeiro (título oficialmente atribuído aSão Sebastião), além de ser padroeiro dos escoteiros e do S.C Corinthians Paulista. No dia 23 de Abril comemora-se seu martírio. Ele também é lembrado no dia 3 de novembro, quando, por toda parte, se comemora a reconstrução da igreja dedicada a ele, em Lida (Israel), onde se encontram suas relíquias, erguida a mando do imperador romanoConstantino I. Há uma tradição que aponta o ano 303 como ano da sua morte.


E o dragão?

Apesar de sua história se basear basicamente em documentos lendários e apócrifos (decretogelasiano do século VI), a devoção a São Jorge se espalhou por todo o mundo. A devoção a São Jorge pode ter também suas origens na mitologia nórdica, pela figura de Sigurd, o caçador de dragões.

Segura o quê?!

Sigurd, o caçador de dragões

(nórdico antigo: Sigurðr; também conhecido em alemão comoSiegfried) é um herói lendário da mitologia nórdica e personagem central da Saga dos Volsungos*. As primeiras representações de sua lenda vêm de sete pedras rúnicas da Suécia.

Como Siegfried, é o herói do Nibelungenlied * * e das óperas Siegfried e Götterdämmerung deRichard Wagner.

Acredita-se que através do grande sincretismo religioso que ocorreu no norte da Europa durante séculos, e principalmente através do choque cultural e do sincretismo ocorrido com os povos germânicos no declínio do império romano, misturando assim mitologia com a cultura cristã, que a lenda de Sigurd se misturou a história de Jorge da Capadócia.

Depois disso, muitas outras histórias foram atribuídas a origem e a pessoa de "São Jorge", especialmente pelos trovadores e as baladas medievais. Uma delas é a história de Jorge e a Princesa Sabra


*Volsungos :

A Saga dos Volsungos é uma saga lendária islandesa do século XIII em forma de prosa, sobre a origem, auge e declínio do clã dos Volsungos (descendentes do rei Volsung).

Os eventos reais que inspiraram a narração fantasiosa da saga ocorreram na Europa Central nos séculos V e VI dC, mas o único manuscrito medieval da obra existente atualmente data de c. 1400. Acredita-se que a versão em prosa da saga seja baseada em poemas épicos escandinavos anteriores.

**

Nibelungenlied : A Canção dos Nibelungos (em alemão Das Nibelungenlied) é um poema épico escrito na Idade Média em alto alemão médio. É baseado nas mesmas antigas histórias que a Saga dos Volsungos.


São Jorge X Os Orixás

A ligação de São Jorge com a lua é algo puramente brasileiro, com forte influência da cultura africana. Tal associação se dá porque na Bahia o santo é associado a Oxossi, orixá associado à lua. No Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e em Recife, no candomblé e naumbanda, o santo é associado a Ogum. A tradição diz: " que as manchas apresentadas pela lua representam o milagroso santo, seu cavalo e sua espada pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda."

Novamente vemos a atuação do sincretismo religioso por intermédio da Igreja Católica, na ocasião da catequização dos escravos.

O que nós recorda que outrora o mesmo Jorge Anicii, da Capadócia, morrera combatendo a idolatria, os falsos deuses e guias em defesa da sua fé em Cristo Jesus, o nosso Senhor.


Mas e o dragão?

Em 494, a idolatria, romarias e petições era tamanha que a Igreja Católica o canonizou, estabelecendo cultos e rituais a serem prestados em homenagem a sua memória. Assim, confirmou-se a adoração a Jorge, até hoje largamente difundida, inclusive em grandes centros urbanos, como a cidade do Rio de Janeiro, onde desde 2002 faz-se feriado municipal na data comemorativa de sua morte. Jorge é cultuado através de imagens produzidas em esculturas, medalhas e cartazes, onde se vê um homem vestindo uma capa vermelha, montado sobre um cavalo branco, atacando um dragão com uma lança.

Ironicamente, o que motivou o martírio deste homem foi justamente sua batalha contra a adoração a ídolos.

Apesar dos engano e da cegueria espiritual das gerações seguintes, o fato é que Jorge de Capadócia obteve um testemunho reto e santo, que causou impacto e ganhou muitas almas para o SENHOR.

Por amor ao Evangelho, ele não se preocupou em preservar a sua própria vida; em seu íntimo, guardava a Palavra: “Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte” (Filipenses 1.20). Deste modo, cumpriu integralmente o propósito eterno para o qual havia nascido: manifestou o caráter do SENHOR e atraiu homens e mulheres para Cristo, estendendo a salvação a muitos perdidos.

O dragão (Satanás) representa a idolatria que deve ser sempre combatida, rejeitada e destruída por nós com as armas da Fé.


Jonnathan Andrade

Jesus Salva!


7 comentários:

marcos peçanha disse...

A devoção a São Jorge veio da época das cruzadas, espalhando-se rapidamente pelo ocidente. A imagem que nós conhecemos de São Jorge lutando contra o dragão é uma lenda, mas como o verdadeiro guerreiro lutou contra satanás defendendo a fé, ele nos convida a lutar pelo bom combate.
São Jorge é padroeiro da Inglaterra, Portugual, Lituânia e Georgia.
O Papa Paulo VI, para agradar aos protestantes que são contra o culto dos Santos, aboliu o culto dos Santos que não tinham registros históricos mas somente relatos tradicionais, como é o caso de São Jorge.
São Jorge é Santo e está no céu sim, e uma devoção a este Santo combatível deve ser praticada e imitada.

vanir disse...

há paz meus irmãos, e que a palavra da verdade vos alcance . no livro dos (efésios 5:1-6 diz para nós sermos imitadores de Deus e não de homens heróis ; então meus
irmãos quero lhe dizer que mateus ,
marcos, lucas, joão,tiago,s. jorge maria,etc...não são santos , são heróis na fé que merecem os nossos respeitos , mais não ser adorados amem ! A biblia diz que os idolatras não erdarão o reino dos céus; isto está escrito em ( 1corintios 6:10 )
tambem a palavra de Deus diz que só cristo subiu ao pai mas ninguem
em lucas 16:22 , a biblia diz que lázaro foi levado para o seio de abraáo , que quer dizer lugar de descanso amem ! busque sempre conhecimento na palavra de Deus , não fique nas minhas palavras ,tire as suas proprias concruzões a través da biblia e que Deus o unico que é diguino de toda honrra , e toda gloria e todo louvor seja com todos em nome do seu filho amado Jesus amem! graça e paz

Diego disse...

A paz de JESUS!!! Irmãos temos que atentar para o seguinte fato bíblico, a palavra de DEUS diz que só há um intercessor entre nós e o DEUS altíssimo, e ele chamasse JESUS CRISTO de nazaré... Mas porque só JESUS pode interceder entre nós e DEUS? Isso é simples, pelo fato DELE estar vivo, ele morreu foi ao mundo dos mortos e ao terceiro dia ressuscitou, portanto ele esta vivo e somente quem esta vivo pode interceder para com o PAI, nós temos um advogado para nos defender do acusador(satanás), e esse advogado chama-se JESUS, que se entregou há morte para nos resgatar da maldição do pecado. Somente a ELE devemos toda nossa gratidão, nosso louvor, nossa idolatria e a glória é e sempre será toda DELE. Assim diz a palavra do SENHOR...
(Êxodo 20.2-6)2 EU sou o SENHOR, teu DEUS, que te tirei da terra do do Egito, da casa da servidão. 3 Nâo terás outros deuses diante de mim. 4 Nâo farás para ti imagem de escultura, nem semelhança do que háem cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. 5 Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR, teu DEUS, sou DEUS zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem 6 e faço misericórdia em milharesaos que me amame guardam os meus mandamentos.
Não preciso dizer mais nada...
FIQUEM COM A GRAÇA A E PAZ DO NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO!!!
AMÉM!!!

Anônimo disse...

Só tem um probleminha nessa história:
Cristo foi inventado pelo o sucessor de Dioclesiano, Constantino, por tanto, na época do "Jorge" não existia nenhum Jesus Cristo.O nome do Messias nunca foi Jesus muito menos Cristo que vem do grego.A salvação vem da Grécia? Seguidores de Constantino, abram seus olhos e abandone esse falso messias criado por Constantino e seu sistema religioso.
Reinaldo.
zaqueurei@hotmail.com

Anônimo disse...

Só tem um probleminha nessa história:
Cristo foi inventado pelo o sucessor de Dioclesiano, Constantino, por tanto, na época do "Jorge" não existia nenhum Jesus Cristo.O nome do Messias nunca foi Jesus muito menos Cristo que vem do grego.A salvação vem da Grécia? Seguidores de Constantino, abram seus olhos e abandone esse falso messias criado por Constantino e seu sistema religioso.
Reinaldo.
zaqueurei@hotmail.com

Anônimo disse...

Só tem um probleminha nessa história:
Cristo foi inventado pelo o sucessor de Dioclesiano, Constantino, por tanto, na época do "Jorge" não existia nenhum Jesus Cristo.O nome do Messias nunca foi Jesus muito menos Cristo que vem do grego.A salvação vem da Grécia? Seguidores de Constantino, abram seus olhos e abandone esse falso messias criado por Constantino e seu sistema religioso.
Reinaldo.
zaqueurei@hotmail.com

Aline Ramos disse...

Pra que complicar? O Amor de Cristo não basta para a nossa salvação? O nome do filho do Deus altíssimo não é o que mais importa mas sim, tudo o que ele nos ensinou. O nome de Deus não é Jeová nem Yaweh mas e daí? Seja YHWH, seja Yaohu Ul sei lá, basta ser nosso Criador amado e pronto. Pra que criar contendas, discussões improdutivas e dissoluções? Paz de Cristo